17:08

Kit de sobrevivência ao pé na bunda

Esta é uma cereja de Tracy Cherry |

Hello, gatos e gatas leitores do Bombas! Acabo de voltar de mais uma estadia no limbo pra falar de um assunto que eu, particularmente, domino. Um assunto incômodo, que dá náusea e embrulhos no estômago quando você lembra que já passou por isso. O motivo da mágoa e da amargura de 80% das mulheres que se dizem amargas e de 60% dos homens que se dizem cafagestes. A ferida intocável, o assunto inacabado, a pestana no seu olho, a cerveja quente do fim da festa. o vômito depois da bebedeira, essa mágoa que chamamos carinhosamente de:


Eu já levei! \o/

Pois é, colega. Nem blogueiras descoladas (QUEM????) estão imunes à essa praga. Todo mundo já levou, ou vai levar, ou já deu um pé na bunda. Se você já levou e superou, ótimo! Vá cantar sua felicidade em outra freguesia. Se você já deu, no mínimo, você foi muito filho da puta (ou outra coisa qualquer que não interessa discutir aqui). Só pra deixar bem claro: esse é um post específico pra quem levou e ainda tá sentindo náusea quando pensa no (a) indivíduo (a). Pra quem não superou e nem tem idéia de por onde começar. Para tanto, elaborei aqui um pequeno manual pra você sobreviver e, o mais importante, superar um pé na bunda. Caso não funcione é importante que todos os usuários saibam que o manual ainda tá em fase de experimentação (inclusive pela própria autora). Então? Papel, caneta e chocolate na mão!

1º passo: ACEITE QUE VOCÊ LEVOU UM PÉ NA BUNDA.
Pé na bunda dói. E não é fisicamente. Causa o tipo de dor que eu acredito que nenhum ser humano (só os homens) merece: a dor no ego. Você se sente insuficiente, infantil, imaturo, incompetente, inseguro, desamparado... fora o tanto de outras coisas que o autor do pé na bunda falou durante o ato (meu último pé na bunda foi ao som de um lindo "você é uma menina que brinca de internet!", então você deve ter noção do que eu tou falando). 
Gata (o), ele(a) te deu um pé na bunda? Azar! Com certeza você tem defeitos, alguns mais graves, outros nem tanto, e ninguém é obrigado a aturá-los ou conviver com eles. As qualidades são a última coisa que encontramos em quem nos relacionamos, e se essa pessoa não teve paciência de esperá-las vir a tona significa, no mínimo, que ela merece tá comendo uma boneca inflável, e não você. Se o problema não foi falta de paciência, foi levianidade mesmo, nem precisa passar por esse passo: vá pra boate, fique bêbada, bata cabelo que no outro diz você tá zerada. O foco desse passo é: não deixar sua auto-estima abalar, você vai precisar dela pra passar por todos os seguintes. 

2º passo: Tem fraquezas? Permita-se!
Esse é um momento delicado na sua vida que você não pode simplesmente colocar uma máscara de SHE-RA e se fingir de forte. Pé na bunda dói, e como toda dor, leva um tempo pra passar. Cabe a quem tá ao seu redor compreender que você precisa desse tempo, e a você a consciência que uma hora ele acaba. Ama chocolate? Filmes tristes? Álcool? Balada? Cigarros? A hora de se entregar a tudo isso é essa! Claro, sem esquecer da moderação. Não vá adquirir uma cirrose ou um câncer de pulmão por causa de um pé na bunda que um babaca te deu. Dê muita atenção pra sua tristeza, deixe ela vir a tona, chore o tanto que precisar porquê você não é obrigada a ser forte logo depois de ter levado um murro no ego, só não esqueça da sua saúde. 


3º passo: "Amiga, amo você"
Olha, esse passo tá entre os meus prediletos. Sabe aquela amiga que você nunca tinha tempo pra sair pro shopping, ou pra ver um filme, ou ir numa cafeteria já que você tava com o seu amorzão? E agora, que você levou um pé na bunda, sabe onde ela vai tá? Pois é, se ela for sua amiga de verdade, vai tá na sua cama, com você no colo, te ouvindo chorar e reclamar de tudo que tá entalado. Esse é um excelente momento pra você reconhecer quem são suas amigas de verdade, quem realmente se importa com você e, principalmente, dar valor a todas elas. É uma ótima oportunidade também de você NÃO FAZER ISSO DE NOVO, OK? (Gostaria de deixar registrado aqui toda a gratidão que tenho por essas amigas ♥).






4º passo: Aquela música que te deixa pra baixo.
É fundamental ter uma música que te deixe bem fodida (o). Mas bem fodida (o) mesmo. Pra você descarregar toda a sua raiva, sua tristeza, sua angústia, as verdades que você gostaria de dizer pro (a) meliante e não pôde já que tava travada na hora do pé na bunda. Gritar aos quatro ventos o quanto ele (a) foi imbecil e te perdeu. Ou o quanto você foi burra (o) por um dia ter acreditado em todas as baboseiras românticas que ele (a) te falou. Não conhece uma música assim, colega? Nem se preocupe que o Bombas vai deixar aqui uma inspiradora pra você (E LEGENDADA!):


5º passo: o recomeço
Descarregou? Já chorou o que tinha de chorar? Já recuperou as (os) amigas (os) que perdeu? Se encarregou direitinho de todos saberem como seu (sua) ex foi filho(a) da puta, babaca e ainda te deu um pé na bunda? Já tá com todas as lágrimas devidamente encaminhadas? Tudo que você quer agora é dar a volta por cima e fazer de conta que nada disso existiu? É possível! E eu explico em 5 sub-passos.

5.1: Aquela música que te deixa pra cima: Tá se sentindo a Joana D'Arc que ressurgiu das cinzas e agora tá com sede de vingança? Ou simplesmente tá se sentindo poderosa? Vou falar mais nada, vou só deixar a dica (e legendada!):


5.2: Corte ou mude a cor do cabelo

Um pé na bunda me fez sair disso 


 Pra isso


E ainda teve esse aqui no meio tempo.

5.3: Dedique-se a algo novo: escrever, pintar, ler um autor novo, viajar, caminhar, uma dieta, uma nova profissão, estudar um idioma (sozinha), ou tocar um instrumento. Aguçar aquele seu gosto particular por vinhos, conhecer novas pessoas, novos bares, novas baladas, novas bandas... O mundo te dá mil possibilidades e você pode escolher quantas quiser.

5.5: Crie um novo bichinho de estimação: Desista dos homens e parta pros cachorros, gatos, pássaros, peixes, cobras, iguanas, ramsters, porquinhos-da-índia...

5.5: Arrume um namorado novo: Já tá se sentindo pronta pra um relacionamento novo? Ou tá só querendo um peguete, uma pegação, alguém divertido, ou uma companhia legal? A hora é essa. Meu único conselho é que seja alguém novo DE VERDADE, nada daquele seu paquera amigo de uma amiga que você já pegou em festas passadas. E claro, saiba que corre o risco de levar outro pé na bunda, mas ai é só voltar ao começo do manual.

Só mais uma dica, queridos! Total responsabilidade ao usar esse manual. O uso indevido de qualquer uma dos itens pode causar canalhice aguda, insensibilidade, lapsos de humor e  amargura crônica. 
No mais, espero ter ajudado.

Beijos sabor cereja!!

2 Mordidas:

Bruna Pires disse...

Porra, pé na bunda doi mto. E pensem, o tempo passa e nem sempre leva consigo as dores ou os incomodos...

Kris Wilmont disse...

Toda vez que eu levo um pé na bunda eu troco o visual!

P.s.: o pior pé na bunda é aquele que vc nem sabe que levou... :P

Postar um comentário

Morda e exploda também.

Subscribe