20:55

Namorar? Pra que?

Esta é uma cereja de Anavlis |

NAMORAR - (Raro, man) – Classificação afetiva indefinida.

Significado de Namorar:
V. T Procurar inspirar amor a; requestar, cortejar; fazer a corte a; arrastar a asa para.
Cobiçar, desejar vivamente possuir.
V.I. Andar em requestos ou galanteios.

Função: (Coloque aqui qualquer frescura).



Sempre achei que namoro devia servir apenas pra trazer sorriso pra quem o vive. Sempre.  Acho que me magoava mais que as próprias pessoas que sofriam por causa de um namoro acabado, uma traição vivida, um(a) canalha conhecido(a). A pergunta de que pra que serve um namoro me persegue desde a primeira paixão que senti, lá pela segunda série. Afinal, porque as pessoas resolvem firmar votos de fidelidade, de amor eterno, e todas essas jurinhas que só cabem a um namoro quando se está apaixonado? Será que a gente consegue seguir com um namoro após anos de relacionamento, e quando não nos sentimos mais aquele frio na barriga só de pensar no(a)  escolhido(a)? Aprendi com o tempo que sim. Para alguns, faz parte da rotina da vida, acordar, ligar, mandar qualquer mensagem doce, e marcar um encontro no final do dia. Tudo isso sem um pingo de paixão.  Por costume, por interesse, por carência. Qualquer motivo não nobre, que faça alguém tocar uma relação pra frente (ou estagná-la, quem sabe).

A verdade é que a gente cresce, e todas as convicções adolescentes, e depois as de bar principalmente, que a gente cria sempre se mostram contraditórias, ainda que demorem.  Já achei que nunca ia querer namorar alguém pra ficar livre de qualquer fulaninho que ousasse pensar que era obrigado a saber até o que eu pensava. Isso com 13 anos. Depois achei que era uma fofura esse mimimi de casal, e que meus namoros com 15 ou 16 anos iam durar até os netos. Já achei até que nunca mais ia gostar de ninguém depois de uma decepção qualquer (qualquer sim, mas a gente só vê isso quando se sente uma velha de 70 anos, mesmo estando na casa dos 20) iam me fazer virar uma freira mal amada, e ia me isolar no Tibet (ainda me pergunto se não era a melhor opção mesmo).
Já acabei namoro por que enjoei do terrível perfume do desgraçado, e até já namorei porque estava convicta que achara o homem da minha vida, quando era só um carinho de amigo. Perdi o namorado e o amigo.  Não morri. Até tentei (ok, essa parte é a da piada sem graça).
Mas namorei e morri de amor infinitas vezes. E até hoje, não sei pra que serve.

Se for pra pensar num futuro, a gente pensa sem necessariamente exigir uma exclusividade, ou chorar quando o fulano esqueceu a data do namoro (merecendo um murro, mas chorar). (Engraçado   Lamentável que pra alguns, essa exclusividade, se transforma em mais sentimento de posse do que em carinho, amor, ou cuidado).
 Se for pra ir ao cinema abraçadinho, a gente faz isso com um(a) diferente toda semana, se quisermos (mesmo que seja aquele cafuçú da sua rua).
Se for pra chorar no ombro, a gente liga pro melhor amigo, que te faz brigadeiro e não enche seu saco por conta dos seus decotes (se for aquela bee, melhor ainda, vai dizer ARRASA, GATA! - Ou seja, SÓ AMOR).
Se for pra apresentar pra família (não consegui pensar num benefício disso, você vai ter um monte de tia lhe torrando a paciência perguntando por que você troca mais de namorado do que de calcinha).
Se for pra fazer sexo, a gente com certeza não precisa namorar, pode ter qualquer caso fixo (que te dê menos dor de cabeça do que um namoro), e ser feliz sendo “livre” por aí.
Se for... Pra qualquer coisa. Afinal, pra que raios a gente namora? Os românticos de plantão me chamariam de mal amada e diriam que fui corneada e preciso desabafar (isso aqui não é um Chora, amiga!),  até porque, acho que sou um caso raro: tenho um carinho especial por todos os meus ex, até pelos que acham que sou perversa, e pros que sumiram no mapa depois de arrumar outra. Ex é uma coisa engraçada – a gente jura amor, e depois a morte do desgraçado – mas, ainda assim, te proporcionaram muitos beijos, colos, momentos felizes, e (depois aquela piriguete, ou pé na bunda) mas, pulemos esses detalhes.

Eu achava que qualquer relação se dava por conveniência, as de amor ou amizade. Mas desisti dessa idéia depois que entrei em nãoseiquantas brigas pra salvar uma amiga sem noção, ou comecei a namorar a distância (que é uma delícia a saudade, mas não é nem um pouco conveniente para o bolso).
A verdade, é que namoro vai te dar prejuízo. A não ser que você e seu par sejam altamente desprendidos de qualquer ciúme, rancor, frescura, e vontade de ganhar presente no dia dos namorados (geral vem com um discurso hipócrita que é só mais uma data do sistema cruel – blábláblá – escravista – sei lá o que – capitalista, mas deixe de dá nem que seja uma flor com chocolate pra você vê a casa cair).
Ou seja, IMPOSSÍVEL.  É isso aí, prejuízo mental e financeiro (ACORDA, COLEGA).

Contando que a gente sempre junta uma graninha pra aquela lembrancinha, ou pro cinema do final de semana, ou pra viagem (que te deixa pobre) no final do mês (meu caso, OH GOD), você ainda assim, vai viver briga, cobrança, encheção de saco, filhos da puta provocando sua ira mandando mensagem ou recadinhos, amiguinhos (nhas) sonsos (sas) esperando seu vacilo pra lhe tascar uma par de chifres,  e mais uma lista de coisas terríveis.
E ainda assim, nós (raça humana) idiotas que somos, insistiremos em começar aquela relação que tem tudo pra ser diferente de todas as outras, mas na verdade, não vai ser. (Isso, se você começou um namoro mês passado, e tá nessa vibe que a vida é rosa baby e seu namorado vai te dá um jardim de presente – pode sentar e chorar).
Não sei pra que serve um namoro, nunca descobri. Ainda assim, ocupo meus dias pensando, e escrevendo sobre isso.  – (Tô indo ali me chicotear). A verdade é que depois de milhares de textos sobre relações, sobre como transformar a sua, especial-mimimi-única, em uma perfeita, como sair de uma relação de cabeça erguida, ou qualquer outra coisa que você lê nas reportagens fantasiosas da Capricho quando tem 14 anos, nunca explicaram pra que serve afinal um namoro. Minha intenção quando comecei a escrever há 10 minutos atrás, nem era mais uma vez, me questionar sobre isso. Era só escrever meia dúzia de frases raivosas pela briga que tive ontem com meu namorado.  (Olha aí, amiga, eu também achava que era perfeito).  Mas, não consigo fugir disso.
Não consigo me esconder desse questionamento que todo mundo deveria fazer na vida  antes de iniciar uma relação. Ok, eu não faço isso, vou com sinos e passarinhos cantando, mas depois me arrependo, e penso, que a gente sempre deve se questionar se um namoro vale a pena, ou, um namoro com aquela pessoa especificamente vai te fazer feliz, ainda que você queira matar ela quando as brigas começarem.

Será que paixão é suficiente pra agüentar todos os defeitos e altos e baixos de um namoro?  Não me fale nem de amor, porque esse filhodaputa aí, me tira o sono pensando se é realmente proveitoso a gente deixar ele se alojar na gente (Sim, eu acredito que amor é escolha e permissão).
Mas, se fosse pra dá um conselho a qualquer um, eu diria: Namore. Ainda que seja pra depois você vê que é uma furada, e cometer um assassinato.



Jéssika Alves (ex-presidiária).


(Ok, brincadeira).

Beijos sabor cereja!

5 Mordidas:

Iki de FeniX disse...

cereja nova na safra é? rsrs

"A verdade, é que namoro vai te dar prejuízo." PQP curti demais essa hahahaha
o lance é que namorar é gostoso aquela frescurinha de andar de maos dadas é como ser o primeiro na chamada da escola , vc se sente importante, sem contar que o sexo num namoro pode ser muito mais gostoso do que numa ficada qualquer (eu particularmente prefiro)
a merda é quando acaba minhas ex, tem a mania de me "deletarem" (eu devo ser bem filho da puta) n sei pq oq começa tao gostoso termina um lixo e ah o danadão do "amor" tbm concordo que seja escolha e permissão vc se deixa levar "ah ta tao bom que vou baixar a guarda msm deixa eu me fuderr to gostando" depois vem o saldo que esse desgraçado deixa, filmes agua com açucar, playlist que deixaria ate Nietzsche depressivo

Iki de FeniX disse...

mas quer saber
hj nao fujo nao
se rolar oxe beleza quem mais aproveita ta aqui
quanto tempo a magica vai durar? bem ai ja nao é comigo eu faço de tudo para que de certo se nao der paciencia

Steres disse...

a bronca do relacionamento é que vc entra nele sempre pensando nos seus interesses e nas suas vontades. é aí que entra a frustração.
mesmo as imbecis que fazem tudo o que o namorado quer (deixar de ver as amigas, virar escrava dele), até ela, está pensando em algum interesse próprio.

Anavlis disse...

Não há cereja nova. Jessika escreveu em nossa coluna onde os leitores podem envar textos.
(=

Qualqueer um pode enviar seus textos (desde que sejam do universo bombas de cereja).

Jéssika . disse...

iki, concordo muito! hahahaha.
também acho sexo em namoro muito mais legal.. o lance da intimidade, do carinho, da cumplicidade, de não precisar ficar apreensivo se vai rolar de novo, se fez alguma besteira escrota, essas coisas.
e esse lance de namorada que vira ex e passa a odiar, eu particularmente, detesto. a não ser que haja de fato, um bom motivo pra isso.

'a bronca do relacionamento é que vc entra nele sempre pensando nos seus interesses e nas suas vontades.' PUTZ, EXATAMENTE ISSO.

eu vivo com esse problema. sempre que começo a namorar, fico achando que encontrei exatamente aquilo que queria, mas quando passa um tempo, vejo o quão egoísta eu fui, e vejo defeitos até onde não tem.


ér... tem que aprender a lidar com os defeitos também.

beijos, pessoas! :***

Postar um comentário

Morda e exploda também.

Subscribe